A carregar...
Última actualização: 12-01-2022 Publicado a: 12-01-2022
Feed RSS

AML Adere a Rede Metropolitana de Parques Agroalimentares

A Área Metropolitana de Lisboa associou-se à Rede Metropolitana de Parques Agroalimentares, animada pela Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional de Lisboa e Vale do Tejo (CCDR LVT) e pelo Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa (ICS-UL). 

 

Esta rede, que visa a valorização da capacidade institucional do território metropolitano e o seu capital humano e natural, decorre na sequência do trabalho desenvolvido ao longo dos dois últimos anos pela Área Metropolitana de Lisboa, em parceria com um conjunto alargado de atores territoriais, no âmbito do projeto ROBUST (Rural-Urban Outlooks: Unlocking Synergies), onde são problematizadas questões centrais para o desenvolvimento da região, ao nível dos sistemas alimentares sustentáveis, dos serviços de ecossistemas e de novos modelos de negócio.

 

Estas problemáticas tiveram expressão na arquitetura temática da Estratégia Regional Lisboa AML 2030, desenvolvida em conjunto pela AML e pela CCDR LVT, em particular no domínio da sustentabilidade ambiental e alimentar com a mitigação de riscos naturais.

 

Através da constituição da Rede Metropolitana de Parques Agroalimentares serão densificados um conjunto de projetos já iniciados no âmbito do Projeto ROBUST.

 

Recorde-se que, já em 2017, a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura alertava para a necessidade de aumentar a produção de alimentos em 70%, face ao previsível aumento da população mundial para 9,8 bilhões em 2050, com um impacto mais significativo nos países em desenvolvimento.

 

Prevendo-se que, num prazo de 30 anos, cerca de 70% da população viverá em cidades, o abastecimento alimentar das cidades com produtos frescos e seguros ganha particular relevância, sobretudo no panorama de mudanças globais e de recuperação pós-pandémica que estamos a atravessar.

 

Os parques agroalimentares constituem-se, por isso, como uma oportunidade para operacionalizar ações alimentares de base regional e local, através da criação de dinâmicas urbano-rurais de maior proximidade.

 

A criação de uma rede de parques agroalimentares na área metropolitana de Lisboa, capaz de cumprir metas ecológicas, económicas, inclusivas, de saúde e de bem-estar para a população metropolitana, ganha, neste contexto, uma relevância superlativa.

 

 

Fonte: AML

Pesquisar notícias:
Visite-nos Facebook Twiter You Tube