A carregar...
Última actualização: 11-05-2012 Publicado a: 09-06-2011

Estratégia Regional: Lisboa 2007 - 2013

No contexto do planeamento estratégico e com vista ao período de programação 2007 - 2013 (QREN), a CCDR LVT promoveu a elaboração da “Estratégia Regional, Lisboa 2020”, sintonizada com a chamada “Agenda de Lisboa”, dando prioridade aos domínios da ciência, tecnologia e inovação, ambiente e qualificação dos recursos humanos. Nela se definem a Visão e os Projetos Estruturantes para o desenvolvimento da Área Metropolitana de Lisboa, servindo, igualmente, como enquadramento do Programa Operacional Regional de Lisboa 2007 - 2013.

 

O trabalho de reflexão e de construção da “Estratégia Lisboa 2020” tentou cruzar necessidades e oportunidades regionais no quadro de um novo modelo de desenvolvimento para o território metropolitano. Consideraram-se essenciais os resultados da avaliação intercalar do PORLVT, as orientações contidas no PROT AML e ainda o conhecimento acumulado com o projeto de acompanhamento e gestão estratégica do desenvolvimento da Região (Gestão Estratégica da RLVT). Este exercício de reflexão estratégia, para além de uma equipa de especialistas em diferentes áreas, teve ainda na sua base a participação, o envolvimento e um comprometimento dos atores públicos e privados regionais.

 

O seu acompanhamento e monitorização são operacionalizados através do Observatório Regional de Lisboa e Vale do Tejo

No documento “Lisboa 2020, Uma Estratégia de Lisboa para a Região de Lisboa”, é de salientar três aspetos que pronunciam um caminho de mudança:

  • o processo. Trata-se de um documento em linha com as novas metodologias de planeamento estratégico, cuja tónica assenta no processo enquanto elemento condutor da mudança, ancorado na participação e na concertação;

 

  • os projetos. A assumpção clara de que “a estratégia é bela mas o que interessa são os resultados”, conforme refere a Introdução, assente na premissa de que, por muito interessante que possam ser os postulados teóricos e as construções analíticas, o que verdadeiramente releva, com vista à mudança desejável e desejada, é a construção real. Ou seja, a transição do percurso cognitivo para a praxis efetiva, consubstanciada em programas e projetos;

 

  • a governança. A introdução deste assunto como um tema forte e transversal. Este documento vem expressar claramente a urgência de se reestruturarem e reinventarem os modos de fazer, através do desenvolvimento de novas formas e estruturas de governabilidade e governança, assentes na capacitação institucional, na cooperação inter-institucional e na concertação de políticas.

 

Consulte o documento «Lisboa 2020 – Uma Estratégia de Lisboa para a Região de Lisboa».

Visite-nos Facebook Twiter You Tube